Seg à Sáb: 08h às 20h / Dom: Alternados | 0800 039 3480 / 31 9.9374-7712

R. Iracema, 273, Loja A, B: N Sra. Do Carmo | Sete Lagoas MG

Angiologista: quando você deve procurar esse especialista?

Angiologista: quando você deve procurar esse especialista?

Angiologista é o médico que trata todos os problemas relacionados a vasos sanguíneos, artérias, veias e vasos linfáticos. No Brasil, as duas abordagens, clínica e cirúrgica, são realizadas por uma especialidade unificada, que leva o nome de "Angiologia e Cirurgia Vascular", apesar de haver profissionais que atuam especificamente na Angiologia Clínica e não operam.

Embora seja muito associado ao tratamento de varizes, o trabalho de um angiologista abrange diversos problemas de saúde que podem surgir em qualquer região do corpo. Por isso, é importante estar atento a alguns sinais físicos e também certos distúrbios metabólicos que estão ligados diretamente com a saúde de nossos vasos sanguíneos.

Normalmente, os pacientes recebem uma indicação prévia de outro médico, em geral cardiologistas e clínicos gerais, para procurarem um angiologista. Porém, há alguns sintomas e condições que podem determinar a necessidade de agendar uma consulta com este especialista.

Veja a seguir os principais problemas de saúde tratados pelo angiologista ou cirurgião vascular e entenda quando é hora de procurar o especialista:


Sinais mais comuns na doença arterial


    Dislipidemia: é o excesso de colesterol ou triglicérides no sangue. Se não tratada, pode acarretar acúmulo dessas gorduras nos vasos arteriais levando à dificuldade de circulação. Pessoas que têm excesso dessas gorduras no sangue devem fazer controle com um angiologista.
    Dor ao caminhar: tem diversas causas, mas uma, em particular, se manifesta quando a pessoa vai andar e, após um período, ela sente dor na panturrilha e precisa parar. Depois disso, ela pode andar normalmente e logo depois para de novo, e assim vai. Chamamos isso de claudicação intermitente e é um importante sinal de falta de circulação nas pernas.
    Dor na coxa ou quadril ao andar: pode ser sinal de falta de circulação na coxa ou região glútea, quando a artéria doente está na barriga ou na região pélvica.
    Disfunção erétil ou dificuldade de ereção no homem: pode ser um primeiro sinal de falta de circulação por obstrução de artérias na região pélvica ou abdômen, artérias ilíacas ou aorta.
    Hipertensão: alguns casos podem ser causados por um estreitamento da artéria renal, que pode resultar no aumento da pressão arterial.
    Cólicas ou dor abdominal após comer: pode acontecer quando artérias do intestino estiverem doentes e, após a alimentação, o intestino precisa ser irrigado com mais sangue para realizar a digestão. Se houver comprometimento das artérias, o indivíduo pode sentir dor.
    Dor aguda ou intensa no peito (infarto): é uma obstrução de artérias que irrigam o coração. O princípio é o mesmo que acontece em outras regiões ou órgãos, ou seja, quando falta sangue, principalmente desencadeado por movimentos, o jeito do organismo se manifestar é com dor.
    Desmaio, perda de consciência ou derrame (AVC): na maioria das vezes, é desencadeado por uma obstrução de uma artéria (carótida) que irriga o cérebro. Essa artéria pode estar doente e soltar pequenos fragmentos de gordura ou mesmo trombos, obstruindo vasos dentro do cérebro.
    Extremidades frias: os pés ou mãos podem aparentar uma frialdade exagerada, principalmente em contato com superfícies geladas. Algumas pessoas podem ter inflamação nos vasos arteriais, a vasculite, que pode se manifestar em diversos órgãos e nas extremidades. Em vez de dor, pode causar mudança de temperatura ou de cor da extremidade.
    Diabetes: se não for bem controlada, pode afetar a circulação. O angiologista, ao perceber sintomas como a necessidade de urinar repetidas vezes, sede exagerada, muita fome ou sensação de mal-estar quando fica muito tempo sem se alimentar, deve investigar, pois quanto mais cedo for identificado o problema, melhor será o acompanhamento.

Sinais mais comuns na doença venosa

    Varizes nos membros inferiores: além do apelo estético, as varizes podem se manifestar com dor, peso, cansaço, cãibras, pernas inchadas, manchas amarronzadas e podem desencadear úlceras (feridas), eczema (pele seca e com intensa coceira) e flebites (veia inflamada).
    Trombose: é a obstrução da passagem do sangue por um trombo formado dentro da veia. Ocasiona dor, edema e necessidade de tratamento urgente. Em casos mais graves, o trombo na perna pode se desprender e parar no pulmão, levando a um quadro de embolia pulmonar e à morte.
    Malformações arteriovenosas: a pessoa já nasce com um problema arterial ou venoso e que pode se manifestar com manchas planas ou elevadas de cor vermelha, azul-escura ou vinho em qualquer região do corpo. Pode haver dilatação dos vasos e acometimento do crescimento do tecido que é irrigado por esses vasos.

Sinais mais comuns na doença linfática

    Erisipela: é uma infecção dos vasos linfáticos que acomete mais frequentemente os membro inferiores. A pele da perna fica vermelha, quente, inchada com íngua na virilha e também pode ocorrer febre.
    Perna, braço ou região genital muito inchados: é o linfedema, que é um mau funcionamento do vaso linfático. Pode ser congênito e a pessoa já nascer com menos vasos linfáticos ou ser adquirido por meio de sucessivas infecções ou infestações por filariose, ou mesmo após uma cirurgia em que houve a necessidade de se retirar os gânglios linfáticos. A manifestação da doença linfática é um inchaço exagerado do membro acometido, que fica dura e não regride com facilidade.

De forma resumida, esses são os principais sinais e as doenças mais comuns que o angiologista ou cirurgião vascular cuida. É uma especialidade muito ampla, que exige uma formação sólida e contínua.

Em qualquer região do corpo que um vaso arterial estiver doente, ou se o paciente tiver distúrbios metabólicos que possam desencadear ou agravar um problema circulatório, o angiologista pode identificar o problema e cuidar. Além disso, maus hábitos de vida, como sedentarismo, tabagismo, alimentação inadequada e obesidade devem ser cuidados, pois impactam diretamente nas doenças circulatórias.

O angiologista ou cirurgião vascular cuida da saúde do paciente de forma global, procurando orientar quanto à adoção de bons hábitos, como parar de fumar, praticar atividade física regular, alimentar-se adequadamente, controlar o colesterol, os triglicérides, a taxa de glicose no sangue, entre outros.

Antes de agendar uma consulta com o especialista, verifique se ele possui formação na área e faça uma busca no site da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular. Não descuide da sua saúde vascular.

Fonte: minhavida.com.br

Postado por Drogaria Monteiro



Atendimento: 0800 039 3480

Email: contato@drogariamonteiro.com.br

Drogaria Monteiro © 2019 - Todos os Direitos Reservados.